Caso aconteceu horas antes do presidente Alberto Fernández realizar um jantar para mais de 200 oficiais e comandantes das Forças Armadas

Reprodução/ Twitter @CasaRosadaalberto fernández; argentina Presidente Alberto Fernández deu jantar para oficiais do Exército horas depois de ameaça de bomba

As autoridades policiais argentinas realizaram operações com esquadrões antibombas nesta quinta-feira, 29, por conta de ameaças sobre a presença de explosivos na Casa Rosada, sede do Poder Executivo, e no Ministério da Defesa, segundo confirmaram fontes oficiais à Agência Efe.

Ambas as ameaças foram feitas por meio de uma ligação telefônica para o serviço de emergência. A Polícia Federal Argentina acionou seus brigadistas e vasculhou os prédios do governo sem encontrar qualquer vestígio de bombas. Durante a operação, a Praça de Maio permaneceu fechada, enquanto as tropas, com a ajuda de cães e scanners, inspecionavam a sede do governo e o Edifício Libertador, sede do Ministério da da Defesa.

No momento, os investigadores da polícia estão analisando o telefonema para descobrir quem é a pessoa que fez a ameaça, o que constitui crime de intimidação pública. O evento aconteceu horas antes de o presidente, Alberto Fernández, realizar um jantar para mais de 200 oficiais e comandantes de alta patente das Forças Armadas Argentinas, no qual anunciou um plano de hierarquia para aumentar os salários dos militares. “No exercício de 2023, será realizado um processo de hierarquização salarial profissional, que se tornará efetivo ao longo do ano”, antecipou o presidente argentino durante o evento, no qual também esteve presente o titular da pasta da Defesa, Jorge Taina.

*Com informações da EFE

Source link

Comente a matéria: