Sem categoria

Regras rígidas de isolamento não impedem covid, e ilhas no Pacífico vivem epidemia


As Ilhas Marshall, arquipélago no Pacífico, ao leste da Filipinas, estão vivendo tardiamente, em comparação com o restante do mundo, a epidemia de covid-19. Com regras rígidas de quarentena para moradores e estrangeiros, o país tinha conseguido evitar, até agora, a epidemia.

Porém, a doença chegou com força total nas últimas semanas. Em apenas sete dias, entre 8 e 15 de agosto, mais de um décimo da população da capital, Majuro, contraiu covid da variante Ômicron. “Estamos nos preparando para a fase mais difícil da epidemia agora em Majuro”, afirmou o ministro da Saúde, Jack Niedenthal, nesta segunda-feira, 15.

Depois que alguns casos foram confirmados em 8 de agosto, o número de infecções disparou, nesta segunda-feira, para 2,8 mil casos. A cidade tem 22,5 mil habitantes. Quase 75% dos testes são positivos. “O bom de ter todos esses outros países que a tiveram [a epidemia] antes de nós é que realmente entendemos como, do ponto de vista epidemiológico, essa variante do vírus se espalha: como um incêndio”, acrescentou o ministro.

Na sexta-feira 12, o presidente das Ilhas Marshall, David Kabua, assinou um decreto de “estado de desastre sanitário”, para permitir que o governo obtenha financiamento de emergência. O decreto foi publicado na conta oficial do governo no Twitter.

No total, o país — de 42 mil habitantes — registrou 3 mil casos positivos e três mortes. Várias agências internacionais, incluindo o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, devem enviar ajuda às Ilhas Marshall, o que inclui médicos.

Desde a terça-feira 9, os voos domésticos da companhia Air Marshall Islands e o transporte público de navio para ilhas remotas do país estão suspensos. Um voo especial que deveria levar uma equipe médica a ilhas distantes da ilha principal, onde está a capital, não pôde decolar, porque todos os pilotos da companhia haviam testado positivo.

Autoridades de saúde do país acreditam que o recente relaxamento das regras de quarentena e o número sem precedentes de chegadas tenham sido a causa da epidemia. O governo planejava abrir suas fronteiras e abandonar a quarentena obrigatória na chegada a partir de 1º de outubro, medidas que estão suspensas.





Source link

Petrobras anuncia terceira queda da gasolina em um mês


A Petrobras anunciou nesta segunda-feira, 15, a terceira redução no preço da gasolina às distribuidoras, passando de R$ 3,71 para R$ 3,53 por litro, uma queda de R$ 0,18 por litro (ou 4,85%). Este é o terceiro ajuste para baixo do combustível em um mês, e o novo valor vale a partir de terça-feira.

Antes do anúncio desta segunda-feira, a Petrobras já havia anunciado reduções no preço da gasolina em 19 e 28 de julho.

Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor vai passar de R$ 2,70, em média, para R$ 2,57 a cada litro vendido na bomba.

Em julho, a gasolina ficou em média 15,48% mais barata nas bombas, segundo dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA). Em 12 meses, no entanto, ainda acumulava alta de 5,64%.

“Essa redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio”, manifestou a empresa, em nota.

Ao anunciar as reduções, a Petrobras segue se ajustando às pressões políticas dos últimos meses e dá sinais de uma mudança de direção na política de combustíveis, com afinidade com o governo federal. Em 28 de junho, Caio Mário Paes de Andrade assumiu a presidência da empresa, justamente com a missão de sintonizar os interesses da estatal com os do Poder Executivo, além de aprimorar a comunicação com a sociedade.





Source link

A democracia do imposto – Revista Oeste


(J.R. Guzzo, publicado no jornal O Estado de S. Paulo em 14 de agosto de 2022)

No Brasil desconexo, despótico e disfuncional criado nos últimos anos pela deposição dos poderes Executivo e Legislativo, e a ocupação das suas funções pelo STF, reduzir impostos tornou-se um ato “antidemocrático”. É uma das aberrações mais grosseiras desta marcha batida rumo à degeneração. Numa democracia de verdade, o Estado existe para servir à população; tem de entregar o máximo, e o melhor, pelo menor custo para o cidadão. No Brasil que está sendo fabricado pelos nossos altos tribunais de Justiça, o que vale é o exato contrário. Para salvar a democracia, dizem eles, é a população que tem de servir ao Estado – e qualquer tentativa de aliviar um pouco essa servidão é imediatamente reprimida pela junta judiciária que hoje governa este país. Menos imposto não é mais eficiência; é “populismo”, dizem seus membros. É transferência de renda do Estado para as pessoas, e isso configura crime de demagogia. Na democracia do STF, só se admite que a renda nacional faça o caminho oposto – seja transferida da população para o Estado.

O veto à redução de 35% no IPI é a última comprovação desse disparate. A diminuição do imposto beneficiaria diretamente os brasileiros, ao levar à queda nos preços de centenas de produtos que as pessoas consomem em seu dia a dia. Mas, segundo o governo do Amazonas, e mais um partido anão da extrema “esquerda” que usa o STF como seu escritório de despachantes, a redução geral de preços iria diminuir a vantagem dos produtos fabricados da Zona Franca de Manaus, que custam menos por desfrutarem de isenção fiscal. O governo, então, fez uma lista excluindo da redução de 35% uma série produtos que são montados na Zona Franca – esses continuariam com os preços atuais. Não adiantou nada. Os militantes do imposto exigiram que não se tocasse na alíquota, de jeito nenhum, e o ministro Alexandre de Moraes ficou do lado deles. O Brasil tem 220 milhões de habitantes. O Amazonas tem menos de 4 milhões. É assim que funciona o Brasil democrático do STF.

Não se trata, aí, de uma exceção. É a regra: o Supremo é hoje o inimigo número 1 da redução de impostos, por entender que isso dá “popularidade” a um governo que detesta e quer ver derrotado nas eleições presidenciais de outubro. Não se salva, nem mesmo, a diminuição de tributos que levou a baixar os preços dos combustíveis – algo de interesse absoluto, direto e urgente para o cidadão. O Supremo sabota ativamente a gasolina mais barata, ao dar licença para que os Estados, forçados por lei a reduzir seus impostos sobre os combustíveis, não paguem as dívidas que têm com a União. É a “resistência” ao “autoritarismo”.





Source link

Parlamentares dos EUA desembarcam em Taiwan em meio à tensão na região


Uma delegação de parlamentares dos EUA desembarcou em Taiwan neste domingo, 14, iniciando uma viagem de dois dias. A previsão é que os visitantes se encontrem com a presidente Tsai Ing-wen, configurando o segundo grupo de alto nível da política norte-americana a visitar o local nas últimas semanas, em meio às tensões militares entre a ilha autogovernada e a China.

No início do mês, a presidente da Câmara dos EUA Nancy Pelosi já havia visitado Taiwan em missão oficial, acirrando a crise diplomática entre norte-americanos e os comunistas chineses.

A China continental reivindica Taiwan como parte de seu território e têm realizado exercícios militares ao redor da ilha para expressar indignação com o que entendem como interferência dos EUA. Adicionalmente, o país impôs novas sanções econômicas aos vizinhos.

A embaixada dos EUA em Taipé informou que a delegação está sendo liderada pelo senador Ed Markey, do Partido Democrata, o mesmo do presidente Joe Biden e de Nancy Pelosi. O parlamentar está acompanhado por quatro membros da Câmara, no que descreveu como parte de uma visita maior à região do Indo-Pacífico. A expectativa é que o grupo se encontre com a presidente Tsai na manhã de segunda-feira.

“Especialmente em um momento em que a China está aumentando as tensões no Estreito de Taiwan e na região com exercícios militares, Markey liderando uma delegação para visitar Taiwan mais uma vez demonstra o firme apoio do Congresso dos Estados Unidos a Taiwan”, afirmou o comunicado do gabinete presidencial da ilha.

Origem da tensão entre China e Taiwan

Taiwan é uma democracia, com liberdade de imprensa, segundo artigo de Cristyan Costa para o site da Oeste. Também tem uma economia própria e pujante: é a 21ª do mundo (razoável para um país de apenas 23 milhões de habitantes). Além disso, sua indústria de tecnologia tem um papel importante: é líder global no fornecimento de chips semicondutores.

A ilha deixou de fazer parte da China em 1949, quando o Partido Nacionalista Chinês (conhecido como Kuomintang) foi derrotado pelo Partido Comunista, de Mao Tsé Tung. O nome oficial de Taiwan é República da China, enquanto sua rival tem uma palavra a mais na certidão: República Popular da China.

Em 1949, a cadeira chinesa na ONU passou a ser ocupada por Taiwan. Naquela época, a China comunista era tida como pária internacional, mas o cenário mudou em 1971, quando o país obteve um reconhecimento internacional abrangente com a visita do então presidente dos EUA, Richard Nixon. Dali em diante, a China continental assumiu o posto da China insular e Taiwan segue fora da ONU. Hoje, apenas 15 países reconhecem a ilha como nação soberana (o mais relevante entre eles é o Paraguai).

Enquanto isso, o Partido Comunista acredita na tese segundo a qual há uma só China, e que Taiwan faz parte dela. Mesmo assim, a soberania da ilha existe na prática (ela tem suas próprias Forças Armadas, Parlamento, presidente e economia).

Assine a Oeste





Source link

The Affair: drama realista com linguagem inovadora


Série

The Affair (Amazon Prime)

“O Caso” está disponível desde 2014 e embora tivesse jeito de ser apenas uma minissérie já está na quinta temporada. A história começa de um jeito muito simples. Um escritor principiante, Noah (Dominic West) leva a mulher e os quatro filhos para passar uma temporada na casa de praia dos seus sogros. No caminho, eles param para um almoço no restaurante e Noah fica apaixonado pela garçonete Alison (Ruth Wilson). Os dois começam um caso que se complica a cada episódio, provocando um terremoto nas duas famílias.

Imagem: divulgação Showtime

O que poderia ser apenas um novelão convencional é beneficiado por uma ousadia narrativa. Cada episódio é dividido em duas partes, e cada parte mostra a história sendo contada do ponto de vista de um dos protagonistas. Assim, os mesmos fatos parecem completamente diferentes, de acordo com que os narra.

A inspiração para essa forma de contar a história é o clássico Roshomon, filme japonês de 1950 dirigido por Akira Kurosawa. A criação de The Affair é da americana  Sarah Treem e do israelense Hagai Levi. É uma série para adultos, com tantas cenas cruas de sexo que a estrela Ruth Wilson pediu para sair, aparentemente cansada de tirar a roupa. Mas em nenhum momento o nível dramático da produção é comprometido por qualquer tipo de apelação ou abuso nos bastidores. Completam o excelente elenco principal Maura Thierney e Joshua Jackson.

 





Source link

Camila Telles é a convidada da semana de ‘As Liberais’


O programa As Liberais é comandado pelas jornalistas Branca Nunes e Paula Leal e vai ao ar no canal da Revista Oeste no YouTube. Toda semana, a dupla entrevista mulheres de destaque no cenário nacional.

A produtora rural e empresária Camila Telles é a convidada da semana. No programa, ela comenta sua paixão pelo agronegócio e relembra como explodiu nas redes sociais ao criar uma paródia da música da Anitta.

Se você ainda não se inscreveu no canal de Oeste no YouTube, clique aqui para se inscrever.

O programa vai ao ar nesta quarta-feira, 9, às 20h30. Para assistir, acesse aqui.

Camila Telles

Comunicação assertiva e conectividade: desafios para o agronegócio e para produtores como Camila Telles
Foto: Divulgação/Redes sociais

Formada em relações públicas e unindo sua facilidade em comunicar e sua vivência no campo, tornou-se a “defensora do agronegócio brasileiro”. Com especialização em marketing estratégico, é CEO da FarmCom, agência de comunicação direcionada para o agro. Filha e neta de produtor rural, Camila Telles tornou-se uma das maiores influenciadoras digitais do agro.





Source link

Dia internacional da Cerveja: produção cresce


Esta sexta-feira, 5, é o Dia internacional da Cerveja. No primeiro semestre de 2022, o Brasil produziu 7,1 bilhões de litros da bebida. Ou seja: 3% mais que os 6,9 bilhões de litros no mesmo período do ano anterior. Em 2021, as empresas brasileiras produziram 14,6 bilhões de litros. Para 2022, a estimativa é de 15 bilhões de litros.

O maior cliente do produto nacional é o mercado interno. Mas o Brasil ainda também exporta uma parte da produção. Em 2021, por exemplo, cerca de 70 países consumiram cervejas brasileiras e o volume exportado ao longo do ano bateu 240 milhões de litros. No top 3 aparecem Paraguai (próximo de 160 milhões de litros), Bolívia (30 milhões de litros) e Argentina (3 milhões de litros).

De acordo com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, a cerveja é fabricada em 700 municípios do Brasil. Ao todo, são quase 1,4 mil cervejarias no país. “A qualidade do produto brasileiro tem levado ao reconhecimento internacional, por meio de premiações”, informou a agência.

Maior produtora de cerveja do mundo

Paulo Lemann, o empresário mais rico do Brasil, é um dos controladores da Anheuser-Busch InBev. A empresa dona da Ambev ostenta o título de ser a maior fabricante de cerveja do planeta. Em 2021, a companhia produziu 580 bilhões de litros, somando todas as fábricas da empresa ao redor do globo. Ou seja: quase 10% mais que os 530  bilhões de litros em 2020.





Source link

EUA declaram emergência de saúde para varíola dos macacos


Com mais de 6,6 mil casos confirmados, o governo dos Estados Unidos declarou na quinta-feira 4 a varíola dos macacos como emergência nacional de saúde pública. A medida tem o objetivo de dar uma resposta federal ao surto e acelerar a distribuição de uma vacina. “Estamos preparados para levar nossa resposta ao próximo nível”, afirmou a jornalista o secretário de Saúde dos EUA, Xavier Becerra.

Califórnia, Nova Iorque e Illinois já haviam declarado emergência estadual em decorrência do aumento de casos. No plano federal, o presidente Joe Biden nomeou, dois dias atrás, dois funcionários para coordenarem a resposta do governo à doença. A maioria das pessoas que contraíram a doença no país são gays.

No final de julho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a varíola dos macacos uma emergência de saúde global e o presidente da entidade chegou a sugerir que homossexuais reduzissem o número de parceiros sexuais.

Segundo dados da OMS, mais de 26 mil casos em 80 países já foram confirmados. Os EUA estão entre os países com maior número de ocorrências, mas nenhuma morte foi registrada até agora. 

A expectativa da declaração de emergência de saúde pública é o aumento da coordenação entre agências federais e da comunicação com estados e localidades e o desenvolvimento de novas estratégias pelo governo para distribuir vacinas e tratamentos, disse Robert Fenton, coordenador nacional de resposta à varíola da Casa Branca. Segundo Fenton, a capacidade de testes aumentou de 6 mil testes por semana para 80 mil. “Esperamos que os casos continuem a aumentar à medida que temos mais acesso aos testes”, disse Rochelle Walensky, diretora do Centro de Controle de Doenças (CDC).

Identificada pela primeira vez em macacos em 1958, a doença apresenta sintomas leves, incluindo febre, dores e lesões na pele cheias de pus, e as pessoas tendem a se recuperar num período de duas a quatro semanas, de acordo com a Saúde.





Source link

Sindicato de servidores não pode impetrar mandado de segurança coletivo em favor de aprovados em concurso

A Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por unanimidade, decidiu que os sindicatos e as associações de servidores não possuem legitimidade para impetrar mandado de segurança coletivo na defesa de direitos de candidatos aprovados em concurso público.

No caso dos autos, a Associação dos Servidores do Ministério Público da Paraíba e o Sindicato dos Servidores do Ministério Público da Paraíba ajuizaram mandado de segurança coletivo para estender o prazo de validade de um concurso, depois que uma liminar suspendeu por 180 dias as nomeações dos candidatos aprovados.

O Tribunal de Justiça da Paraíba denegou a segurança por entender que a suspensão temporária determinada pela liminar teve a finalidade de alinhar as nomeações, obedecendo a proporção e a alternância entre as listas de ampla concorrência e de pessoas com deficiência. Além disso, para o tribunal, a suspensão não teria impedido o preenchimento das vagas inicialmente oferecidas no edital, nem daquelas que surgiram durante o prazo de validade do certame, inexistindo, assim, qualquer prejuízo aos candidatos.

Candidatos aprovados ainda não integram o quadro funcional do órgão

O relator do recurso no STJ, ministro Mauro Campbell Marques, observou que o sindicato e a associação são constituídos para a defesa dos interesses dos servidores do Ministério Público paraibano, de forma que, como os candidatos aprovados ainda não integram o quadro funcional do órgão, não estão sujeitos à proteção das entidades.

Segundo o magistrado, as alegações de que a escassez de pessoal do Ministério Público criaria sobrecarga de trabalho para os servidores e comprometeria a eficiência do órgão são um pretexto para disfarçar a intenção de proteger o direito de os candidatos aprovados serem todos nomeados.

“A despeito do direito à nomeação dos aprovados dentro das vagas, o candidato em si não é ainda servidor nem, portanto, pode ter algum direito protegido pela associação de servidores ou pelo sindicato de servidores, e assim não são os candidatos uma ‘categoria’, na acepção técnica do termo, daí que ambos os impetrantes carecem de legitimidade”, concluiu o ministro ao negar provimento ao recurso em mandado de segurança.

Leia o acórdão no RMS 66.687.

Da assessoria

Câmara do Rio libera carros blindados para todos os vereadores


O presidente da Câmara dos Vereadores do Rio, Carlo Caiado, decidiu nesta quarta-feira, 3, autorizar o aluguel de carros blindados para todos os parlamentares que desejarem. Válida por seis meses, a decisão foi tomada depois de “episódios de violência” contra parlamentares da Casa.

Criou-se uma nova verba com a finalidade de custear os alugueis de R$ 7,5 mil de cada veículo. Os vereadores que optarem pelos carros blindados serão ressarcidos.

“Temos de preservar a vida dos vereadores”, disse Caiado, ao mencionar as denúncias que chegaram. “Veja o que aconteceu com a nossa amiga Marielle Franco. Talvez, se ela estivesse em um carro blindado poderia ter sobrevivido.”

Caiado disse ainda que recebeu diversos pedidos de colegas que relataram ameaças: Chico Alencar (Psol), relator do processo no Conselho de Ética contra Gabriel Monteiro; além de Celso Costa (Republicanos); Tarcísio Motta (Psol); Monica Benício (Psol); e William Siri (Psol).

Leia também: “A bandeira do consórcio da imprensa”, artigo de Silvio Navarro publicado na Edição 123 da Revista Oeste





Source link