Desde o nascimento, Oeste tem como um de seus princípios básicos a liberdade. Agora, na reta final das eleições de 2022, vivemos um momento em que este direito fundamental é violado quase diariamente — e violado por aqueles que têm o dever constitucional de preservá-lo.

Sobretudo por isso, Oeste decidiu, em homenagem a todos os democratas brasileiros, liberar integralmente a edição desta semana, que traz uma série de artigos e reportagens sobre o tema.

Nos últimos dias, o bombardeio autoritário alcançou também veículos jornalísticos. A rede Jovem Pan, por exemplo, está desde a quarta-feira 19 proibida de publicar informações que envolvam a condenação do candidato Lula (PT). A Gazeta do Povo foi impedida de veicular notícias sobre a expulsão da rede CNN da Nicarágua e a amizade do petista com o ditador Daniel Ortega. Num ato que configura clara censura prévia, a produtora Brasil Paralelo foi impendida de veicular, até o fim do segundo turno, um documentário sobre o atentado sofrido por Jair Bolsonaro na campanha presidencial de 2018.

Veja Também: As plataformas “livres” que discutem… censura – mnegreiros.com

Oeste também entrou na mira dos censores. O PT e outros partidos de esquerda pediram a censura de 34 perfis no Twitter, entre eles o da revista. O pedido absurdo foi rejeitado pelo TSE. Sob o pretexto de um vídeo publicado há dois anos e meio, o canal de Oeste no YouTube está impedido de publicar novos vídeos por sete dias.

Aproveite esta edição de presente, divulgue os textos e junte-se a Oeste na luta pela sobrevivência da liberdade ameaçada. Clique aqui para ler os artigos de J.R. Guzzo, Augusto Nunes, Guilherme Fiuza, Ana Paula Henkel, entre outros.

Source link

Comente a matéria: