política

Deputados adversários no Brejo serão votados conjuntamente


Foto: Montagem/ Paraibaonline

Foto: Montagem/ Paraibaonline

Os deputados Raniery Paulino (REP) e Camila Toscano (PSDB), adversários na política brejeira, terão um apoio comum na cidade de Pilõezinho nas eleições deste ano, quando disputarão mandatos distintos (federal e estadual, respectivamente). 

*com informações da coluna Aparte, assinada pelo jornalista Arimatéa Souza

Para ler a coluna completa desta quarta-feira, acesse aqui:

https://paraibaonline.com.br/aparte/veneziano-vital-governo-preguicoso/ 





Source link

Mulher é condenada por fraude eleitoral nos EUA após votar em nome da mãe falecida


Caso aconteceu nas eleições presidenciais de 2020; mulher de 64 anos negou as acusações em julgamento

EFE/EPA/RICHARD ELLIS

estados unidos
Fraude aconteceu em votação pelo correio nas eleições de 2020

Uma mulher no Arizona, Estados Unidos, foi condenada a dois anos de liberdade condicional depois de se declarar culpada por fraude eleitoral nas eleições de 2020. A Republicana Tracey Kay McKee, de 64 anos, assinou e votou em nome de sua mãe falecida, Mary Arendt. A sentença foi proferida pela juíza do Tribunal Superior do Condado de Maricopa, Margaret LaBianca, na última sexta-feira, dia 29. A mãe da eleitora morreu em 5 de outubro de 2020, poucos dias antes de as primeiras cédulas por correio serem enviadas aos eleitores. “A fraude eleitoral vai prevalecer enquanto houver votação pelo correio, com certeza. Quer dizer, não há como garantir uma eleição justa. Não acredito que esta foi uma eleição justa. Acredito que houve muita fraude eleitoral”, disse McKee em julgamento, onde também negou ter envolvimento. Apesar de se declarar republicana, não ficou claro se ela votou em Donald Trump nas eleições presidenciais, já que no julgamento essa pergunta não foi feita.



Source link

ministro cutuca adversários; socialistas eufóricos


Foto: montagem/Paraibaonline

Na edição deste sábado da coluna Aparte, o colunista Arimatéa Souza trata da ´queda-de-braço´ entre o senador Veneziano Vital e o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, por conta do apoio de vereadores governistas ao pré-candidato a governador pelo MDB.

Outros destaques:

– Nova ´cutucada´ do ministro da Saúde nos adversários do presidente Bolsonaro

– A incógnita acerca do apoio do Republicanos na eleição estadual

– O registro poético sobre a ´volta às aulas´ de crianças carentes de Campina Grande

– Socialistas paraibanos estão eufóricos

Leia a coluna completa aqui:

https://paraibaonline.com.br/aparte/marcelo-queiroga-cutuca-ex-presidente/





Source link

Doria e Tebet enaltecem moderação de Emmanuel Macron; Ciro comemora ‘derrota da extrema-direita’ na França


Pré-candidatos à presidência da República parabenizam o francês pela reeleição: ‘Vitória da democracia’

EFE/EPA/GUILLAUME HORCAJUELOA vitória de Emmanuel Macron repercute na política internacional e traz reflexos ao Brasil

A vitória de Emmanuel Macron repercute na política internacional e traz reflexos ao Brasil, com pré-candidatos à presidência da República parabenizando o francês pela reeleição. O ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), está entre os que comemoraram a vitória e “rejeição do extremismo” na França. “A conquista de Macron é a vitória da democracia. É a rejeição ao extremismo. É a conquista do voto pela esperança de um futuro promissor para a nação francesa. Um triunfo do equilíbrio e do compromisso pelo progresso do país, sem radicalismos. Parabéns à França e ao seu povo!”, afirmou, em mensagem compartilhada nas redes sociais. Simone Tebet (MDB) também ressaltou a vitória de Macron dizendo “salve a democracia, a moderação e o diálogo. “O Brasil também precisa disso”, afirmou a pré-candidata. Por sua vez, Ciro Gomes (PDT) comemorou a derrota da extrema direita. “Ver a extrema-direita derrotada será sempre motivo de alegria. Maior alegria ainda será vê-la definhar e o embate democrático se dar com menos polarização e mais qualidade. No Brasil, na França e em todo o planeta”, escreveu.

*Com informações da repórter Carolina Abelin



Source link

ENQUETE – OS PINGOS NOS IS – Você concorda com a decisão de Bolsonaro de dar indulto ao deputado Daniel Silveira?


Decreto foi publicado após o parlamentar ser condenado pelo STF a 8 anos e 9 meses de prisão

Arte/Jovem Pan‘Os Pingos nos Is’ é apresentado por Vitor Brown e tem comentários de Augusto Nunes, José Maria Trindade, Guiherme Fiuza e Ana Paula Henkel

Enquete – Os Pingos nos Is

Você concorda com a decisão de Bolsonaro de dar indulto a Daniel Silveira?

Sua resposta foi registrada.



Source link

“Sim. Serei candidato à Presidência da República pelo PSDB”, diz Doria

O tucano cogitou desistir de disputar o Palácio do Planalto; Rodrigo Garcia assume o cargo de Doria e será candidato ao governo de SP

São Paulo – Governador de São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou nesta quinta-feira (31/3) que vai disputar a Presidência da República. Por isso, transmitiu o cargo ao vice-governador Rodrigo Garcia (PSDB).

Publicidade

Com a saída de Doria, Garcia assume o governo com a intenção de usar a máquina governamental para impulsionar sua candidatura ao Palácio dos Bandeirantes.

Na noite da última quinta (30/3), Doria havia sinalizado que desistiria do pleito federal e que permaneceria como governador, instaurando uma crise entre os tucanos, como antecipou o colunista Igor Gadelha. Também como adiantou o colunista, o impasse foi abafado após o PSDB divulgar uma carta em apoio a Doria.

“Sim. Serei candidato à Presidência da República pelo PSDB”, disse Doria.

Na cerimônia de transferência do cargo, Rodrigo Garcia falou em tom amistoso a Doria, disse que hoje o dia é dele e que lhe deseja foco, força e fé.

“Era necessário sim uma liderança forte, uma bússola para que aquele caminho de escuridão que era a pandemia. Ninguém está aqui para dizer adeus, mas sim um até breve, porque o que você fez em São Paulo fará no resto do Brasil. Estamos aqui por você.”

Desistiu, mas voltou atrás

Estava tudo combinado para Doria passar o bastão do governo de São Paulo para Garcia nesta quinta. Na noite da última quarta-feira (31/3), no entanto, ele informou seu vice e outras pessoas próximas de que desistiria da disputa ao Planalto, pegando a todos de surpresa.

Muitos secretários e aliados de Doria só souberam da desistência na manhã desta quinta. Na sequência, houve mobilização de aliados em horas de negociação para tentar convencê-lo a mudar de ideia.

Os reforços vieram de todos os lados, como dos deputados estaduais – Cauê Macris foi um deles –, federais – Joice Hasselmann é um exemplo – e do presidente nacional do partido, Bruno Araújo.

O pano de fundo da desistência é um resquício da competição que não foi concluída com o resultado das prévias tucanas realizadas em novembro do ano passado: uma ala pró-Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, trabalha para conseguir substituir o paulista pelo gaúcho como candidato federal do PSDB.

Doria vinha se sentindo desprestigiado, segundo pessoas próximas, com essas tentativas, principalmente porque elas foram ganhando força com a falta de um posicionamento contundente de Araújo a seu favor. As especulações na imprensa sobre a ascensão do gaúcho lhe incomodaram. Ao mesmo tempo, o baixo desempenho nas pesquisas de intenção de voto também o desmotivou a seguir na empreitada.

O paulista então anunciou, dentro do governo, que não iria mais concorrer à Presidência, e que não iria mais entregar seu cargo para Garcia – que ficou abalado com a notícia. Foi necessária uma corrida contra o tempo dentro do PSDB e do governo para fazer Doria recuar.

Araújo divulgou uma carta respaldando o pré-candidato, auxiliares afirmaram que ele tem chance de crescer nas pesquisas, e lhe prometeram respaldo. Também argumentaram que Garcia não poderia faltar com o combinado com Garcia e frustrar a expectativa de ele assumir o governo, já que ele sempre foi fiel a Doria e que deixou o DEM pelo PSDB a pedido do próprio governador. Horas de reunião depois, os apelos surtiram efeito.

Matéria de

Hyndara Freitas

Daniel Haidar para Metrópoles

Daniella comenta chegada ao PSD e enfatiza: “Não é uma aventura”

A senadora paraibana Daniella Ribeiro comentou no fim da manhã de hoje o convite feito pelo presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, e aceito por ela para comandar a sigla no Estado. “Recebi o convite e decidi aceitar o desafio, que não é uma aventura. Esse convite levou em conta minha história política iniciada em 2008 como vereadora em Campina Grande. Minha história política não começou agora. É uma honra ter o reconhecimento de um partido tão importante”, disse ela.

Publicidade

Confira a íntegra do comentário de Daniella Ribeiro sobre a mudança partidária.

Sonora de Daniela Ribeiro

Matéria de parlamentopb

João Azevêdo anuncia chapa completa até sexta e diz que Aguinaldo é importante

O governador João Azevêdo deve anunciar até esta sexta-feira, 1º de abril, os nomes de seus companheiros de chapa e que vão disputar as vagas de vice e também de senador: “Estamos trabalhando nessa direção para que até sexta-feira anunciemos nossos companheiros de chapa”.

Publicidade

A chapa tem duas posições, temos a senatória e vice e estamos discutindo nessa direção. A escolha não tem um critério único. São vários fatores: parceria, projeto coletivo, um esforço para que a chapa tenha maior unidade possível. Não é peso, altura e nem local de nascimento”.

Ao ser questionado se o deputado Aguinaldo Ribeiro (Progressistas) seria um nome importante, ele não titubeou: “É. Sem dúvida!”.

Deputado oficializa apoio ao pré-candidato do PSDB

O deputado federal e pré-candidato ao Senado, Efraim Filho (União Brasil), aproveitou o embalo do anúncio do rompimento político do prefeito do município de Cabedelo, Vitor Hugo, com o governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), feito nesta segunda-feira (28), e anunciou também que não está mais lado do socialista.

“Não existem mágoas e nem ressentimentos. Existe sim, um projeto de escolher aquele que será o melhor para a Paraíba, que é caminhar junto com Pedro Cunha Lima”, anunciou.

Publicidade

Para ele, “é hora de buscar o seu caminho e o caminho que levará à vitória não é mais ao lado de João Azevêdo” e que procurará “buscar a Paraíba sempre como principal bandeira deste projeto futuro”, enfatizou Efraim Filho, acrescentando que o governador entregou em troca da sua lealdade, compromissos e votos, a indecisão.

Foto: Ascom

O deputado lembrou ainda que ele e seu grupo político estiveram no primeiro momento construindo todos os tijolinhos que levaram João Azevêdo a ser eleito governador da Paraíba.

“É bom lembrar que se dependesse de Aguinaldo Ribeiro, João Azevêdo nem governador seria. Aguinaldo votou contra o governador, mas a premissa da política é disputa por espaço e nós estamos escolhendo esse nosso caminho”, destacou.

Ele também ressaltou que não sai magoado com Azevêdo e disse ter tido uma conversa serena, tranquila, e dentro das regras do jogo da política.

Para Efraim, foi cumprido um ciclo e agora um outro se inicia, frisando que tem o sentimento do dever cumprido quando se pensa no Estado da Paraíba como um todo.

Da Redação do Paraibaonline – João Pessoa (Hacéldama Borba)