Foto: Montagem/ Paraibaonline

Foto: Montagem/ Paraibaonline

Desde a criação do partido União Brasil – fruto da fusão dos antigos PSL e Democratas -, a bancada da legenda na Câmara campinense é uma fonte perene de desunião.

Quinta-feira última, o vereador Waldeny Santana exasperou-se com o pedido de aparte (participação no discurso que pronunciava) do seu colega Olímpio Oliveira.

“Estou discursando e Vossa excelência está interrompendo o meu raciocínio. Mesmo que não concorde com o meu discurso, respeite o contraditório”, bradou.

O revide de Olímpio foi duro: “Eu não acho graça. Vossa Excelência foi profundamente deselegante comigo. E a partir de hoje, olhando nos teus olhos, eu não quero essa conversinha besta aqui. O que a gente tratar é no público. Eu quero consideração aqui (na bancada) e lá (na tribuna)”. 

“Essa historinha de estar com consideração aqui na frente e lá (tribuna) querer me expor, como que eu esteja desrespeitando o contraditório, e como que eu seja radical, como que eu esteja o intimidando, esse tipo de molecagem eu não aceito comigo”, prosseguiu Olímpio. 

“Eu não faço essa politicagem e não utilizo de forma inadequada a prerrogativa de ser vereador em Campina Grande”, bradou Olímpio, para emendar: “Este plenário é um ´raio X´ da personalidade e do caráter humano. A gente vai se revelando a cada dia. Se engana quem quiser”.

Waldeny replicou alegando que “nunca detratei nenhum colega. Sempre fiz e farei o debate de ideias. Gostando ou não, irei confrontar as ideias contrárias àquilo que acredito”.

Notícia da edição deste sábado da coluna Aparte, assinada pelo jornalista Arimatéa Souza.

Para ler a edição completa, acesse aqui:

Aparte: a´ponta do iceberg´ em Campina Grande (paraibaonline.com.br)

 





Source link

Comente a matéria: