Por: Dr. Ygor Marcelo Mendes de Souza Negreiros

A Medicina é uma profissão linda, quando exercida com a dignidade e ética que é própria .

Que o indivíduo não confunda jamais a profissão com a comercialização, isso é uma tragédia que muitos cedem e que preocupa o futuro desse nobre ofício.

A profissão tem que ser exercida com absoluto compromisso com a ética, enxergando no doente seu pai, sua mãe, seu filho. Sendo médico, não é permissivo pensar em nada além do que o benefício do doente. A profissão não foi feita para o médico, mas para doente. O médico é nobre, mas um simples agente.

Devemos ter sempre em mente que todo indivíduo doente se transforma num ser aflito, angustiado e com medo. Sendo assim, reflitamos que o oposto do medo não é a coragem. O oposto do medo é a fé. O doente precisa acreditar em quem o trata! E você não pode de forma nenhuma utilizar a crença do seu doente como ferramenta de tirar vantagens pessoais, isso seria uma traição absolutamente inominável.

Que esse sentimento jamais seja perdido. Que o sacerdócio não se torne obrigação, que o carinho não se transforme em ego, que a ciência não ceda lugar ao charlatanismo e que o paciente não seja visto como cifrões.

Parabéns a todos os colegas!

By Marcelo Negreiros

Jornalista militando na profissão desde 1985, trabalhando nas TVs Paraíba e Cabo Branco, afiliadas Rede Globo na Paraíba, durante 15 anos. Diplomado em 2001 pelas Faculdades Integradas de Patos.

Comente a matéria: