O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira, 12, que os Estados Unidos e a Europa precisam se olhar no espelho, em relação às medidas de ajustes fiscais. O ministro está em Washington, onde participa das reuniões anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial.

“Eu acho que eles deveriam se olhar no espelho, porque não estão fazendo um bom trabalho. Estão muito atrás da curva nas políticas fiscais, estão muito atrás da curva nas políticas monetárias. A inflação está descontrolada aqui”, disse o ministro.

Em sua manifestação, o ministro da Economia voltou a defender a ideia de que os bancos centrais tomem medidas mais rígidas contra a inflação, e afirmou no tradicional comunicado ao órgão que o FMI negligenciou a inflação global e deu orientações equivocadas.

“O Brasil está na estrada da prosperidade, está indo bem, saindo dessa bagunça. Com relação aos Estados Unidos e à Europa, este é o terceiro ou quarto encontro que temos de alertar para o fato de que estão muito atrás na curva, estão dormindo no volante”, disse o ministro, em entrevista coletiva.

As novas projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI) mostram que o Brasil terá um crescimento econômico maior que Estados Unidos, França e Alemanha em 2022. De acordo com o órgão, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro deve fechar 2022 com a expansão de 2,8%. Ao mesmo tempo, o desempenho é estimado em 1,6% para os norte-americanos, 1,5% para os alemães e 2,5% para os franceses.

Guedes ainda defendeu a ideia de que haja um maior empenho na ajuda à Ucrânia, atingida por uma guerra provocada pela Rússia. Apesar da manifestação, o Brasil tem evitado condenar a Rússia pela invasão da Ucrânia em órgãos como a Organização das Nações Unidas (ONU).

Source link

Comente a matéria: