Petista comunicou sua decisão em uma publicação em seu perfil no Twitter; presidente Jair Bolsonaro (PL) também é esperado

RONALDO SILVA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOLula discursa para apoiadores em ato de comemoração ao Dia do Trabalhador
Debate foi organizado em formato de pool e será transmitido a partir das 21h do domingo, 28

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) confirmou sua presença no primeiro debate presidencial da campanha eleitoral, marcado para o domingo, 28. O programa será transmitido em formato de pool, a partir das 21h, por todos os canais de rádio e televisão do Grupo Bandeirantes, pela TV Cultura, pelo portal UOL e pelo jornal Folha de S. Paulo. A decisão do petista foi comunicada em seu perfil oficial no Twitter. “Nos vemos na Band amanhã, 21 horas”, escreveu. O presidente Jair Bolsonaro (PL) também é esperado no evento. Embora não tenha oficializado que irá aos estúdios da TV Bandeirantes, em São Paulo, o chefe do Executivo federal afirmou, em entrevista exclusiva ao programa Pânico, da Jovem Pan, que deve comparecer. “Eu devo estar domingo [no debate da TV Bandeirantes]. Estou batendo o martelo. Em um momento achei que não devia ir, agora acho que devo ir. Vou ser fuzilado, vão atirar em mim o tempo todo, porque eu sou um alvo compensador para eles. Mas acredito que a minha estratégia vai dar certo. As perguntas eu já me preparei como fazer e as respostas vão ser simples. Não devo nada. Então é tranquilo responder essas acusações que fizeram o tempo todo nas mídias no tocante à Covid-19”, disse. Além disso, o diretor de jornalismo da Band, Fernando Mitre, utilizou seu perfil nas redes sociais para afirmar que “todos” estarão presentes. “Anúncio para este domingo: todos no debate”, publicou em seu Twitter.

Como a Jovem Pan mostrou, havia um impasse dentro da campanha sobre a participação de Bolsonaro nos debates. Segundo relatos feitos à reportagem, o chefe do Executivo federal estava propenso a não comparecer aos compromissos no primeiro, apesar dos apelos de parte de seus auxiliares. Uma ala do comitê da reeleição, ligada ao ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, avalia que a exposição desnecessária pode frear o gradual crescimento do presidente da República apontado pelas pesquisas de intenção de voto divulgadas nos últimos dias – principal adversário do atual mandatário do país, Lula lidera as pesquisas. Para o debate deste domingo, também foram convidados o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), as senadores Simone Tebet MDB) e Soraya Thronicke (União Brasil) e o cientista político Luiz Felipe d’Avila (Novo), de partidos com representantes na Câmara de Deputados.





Source link

Comente a matéria: