Outros 464 foram liberados, mas com imposição de medidas cautelares

Rosinei Coutinho/SCO/STFAlexandre de Moraes
Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), encerrou nesta sexta-feira, 20, a análise das audiências de custódia de 1.406 pessoas detidas após os atos de vandalismo em Brasília, em 8 de janeiro. Com as decisões, 942 detenções em flagrantes foram convertidas em prisões preventivas. Outros 464 suspeitos foram liberados. Estes, no entanto, terão medidas cautelares.  Entre as medidas estão uso de tornozeleira eletrônica e a proibição do uso de redes sociais. Caso as medidas cautelares sejam desrespeitadas, essas pessoas podem voltar para a cadeia. De acordo com o interventor federal para a Segurança Pública do Distrito Federal, Ricardo Cappelli, os presos de outros Estados devem ser transferidos para os seus Estados de origem após passarem por audiência de custódia, com o objetivo de desafogar o sistema penitenciário de Brasília, que está superlotado.





Source link

Comente a matéria: