Em ofício enviado ao ministro, representantes do aplicativo alegam que o pedido tem ‘fundamentação genérica’ e criticam ordem de Moraes

O Telegram contrariou o pedido do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e pediu para a Corte “reconsiderar” a decisão de bloquear o perfil do Telegram do deputado federal eleito Nikolas Ferreira (PL-MG).

Em ofício enviado ao ministro, os advogados do aplicativo afirmam que algumas ordens da Corte voltadas à remoção de conteúdo são feitas com “fundamentação genérica”. 

Em um dos trechos da petição, os representantes da rede social alegaram que o bloqueio de perfis pode representar censura. A informação foi antecipada pelo jornal O Globo.

Para eles, o bloqueio “impede um espaço de livre comunicação para discursos legítimos, implicando em censura e coibindo o direito dos cidadãos brasileiros à liberdade de expressão”.

A medida foi ordenada no inquérito que investiga atos antidemocráticos. 

No documento, o Telegram alega que não há fundamentos ou justificativa para o bloqueio do canal de Nikolas e argumentam que Moraes não identifica os “conteúdos específicos que seriam tidos por ilícitos”.

Os representantes pediram que o ministro reconsidere a ordem de remoção do perfil de Nikolas e sugeriram que há outras providências que podem ser adotadas.

Eles ainda criticam o prazo determinado para o cumprimento das ordens de bloqueio dadas pelo STF. 

Com informações de Estado de Minas

By Marcelo Negreiros

Jornalista militando na profissão desde 1985, trabalhando nas TVs Paraíba e Cabo Branco, afiliadas Rede Globo na Paraíba, durante 15 anos. Diplomado em 2001 pelas Faculdades Integradas de Patos.

Comente a matéria: