Você sabia que existe um calendário eleitoral a ser cumprido antes do primeiro turno das eleições gerais no dia 02 de outubro? Existem prazos, por exemplo, para a transferência de título, mudanças de partidos e para o registro de candidaturas.

ANTES DAS ELEIÇÕES DE OUTUBRO DESTE ANO UMA SÉRIE DE DATAS IMPORTANTES ESTÃO NO CHAMADO CALENDÁRIO ELEITORAL.
EXISTEM PRAZOS PARA A TRANSFERÊNCIA DE TÍTULOS, MUDANÇAS DE PARTIDOS E REGISTROS DE CANDIDATURAS. 

2022 é ano de eleições para presidente da República, governadores, senadores,deputados federais, estaduais e distritais. As urnas eletrônicas que serão utilizadas em outubro já foram testadas, como ressalta o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso.

Publicidade 

 “Realizamos o teste público de segurança quando inúmeras instituições qualificadas e pessoas físicas preparam e realizam ataques às urnas eletrônicas e ao sistema em busca de vulnerabilidades que possamos sanar. Esse ano já foi feito sob os olhos da comissão de transparência eleitoral e do observatório de transparência eleitoral que constituímos no âmbito do Tribunal Superior Eleitoral.” Ressaltou Barroso. 

Existem datas importantes no calendário eleitoral. Por exemplo, se você quiser transferir o seu título para votar em outra cidade o prazo é 04 de maio. Já os deputados têm entre os dias 03 de março e 01 de abril para mudarem de partido. Uma novidade desta eleição é a possibilidade que partidos, até o dia 02 de abril, criem federações, o que é diferente das já conhecidas coligações partidárias, como explica o cientista político Valdir Pucci, em entrevista. 

“Significa a união de partidos, não apenas para as eleições como uma coligação, mas sim pelos próximos quatro anos, mas maioria deve sair sozinho sem nenhum outro partido na sua chapa.”

Os partidos políticos têm até 05 de agosto para a realização de convenções partidárias e até o dia 15 de agosto para o registro das candidaturas. O primeiro turno das eleições ocorrerá em 02 de outubro e o segundo no dia 30. 


Matéria de Rodrigo Resende para Rádio Senado

Comente a matéria: