Ativistas ambientais do grupo Última Geração atacaram com tinta uma escultura em Milão, na Itália, neste domingo, 15. Três pessoas foram presas e levadas para a delegacia. Eles descrevem a atitude como “desobediência civil não violenta”. Segundo a agência de notícia italiana Ansa, ao menos 11 pessoas estavam envolvidas na ação, mas os três detidos foram quem lançaram tinta contra a escultura.

O alvo dos ativistas foi a escultura “Love”, de Maurizio Cattelan, que fica na praça da Bolsa de Valores de Milão. A obra, conhecida como “o dedo”, por mostrar o dedo do meio apenas, foi manchada com tinta amarela e precisará passar por processo de limpeza. Instalada em um pedestal monumental, ela possui 11 metros de altura e tem vista para a Plaza degli Affari, na capital financeira italiana.

O grupo responsável pelo ataque levou ao local um cartaz cobrando o “fim dos subsídios aos combustíveis fósseis”, um recado aos bancos italianos que financiam o atual sistema de energia.

O grupo italiano, que é um braço do movimento Extinction Rebellion, que diz lutar contra o colapso do clima no mundo, já fez vários ataques contra obras de arte no país, como contra um quadro de Vincent Van Gogh, no Palazzo Bonaparte, em Roma, e também contra prédios públicos – do Senado e do Teatro alla Scala.

Leia também: “Por que os ecoativistas são tão hostis com a humanidade” texto publicado na edição 139 da Revista Oeste





Source link

Comente a matéria: