O bilionário indiano Gautam Adani, que há alguns anos era um desconhecido no Ocidente, tornou-se, na segunda-feira 29, a terceira pessoa mais rica do mundo. O magnata construiu um dos maiores conglomerados de energia do mundo. É a primeira vez que um asiático está entre os três primeiros do índice de bilionários da Bloomberg.

Com uma fortuna de pouco mais de US$ 137 bilhões (quase R$ 700 bilhões), Adani ultrapassou o francês Bernard Arnault e agora está atrás apenas do sul-africano Elon Musk e do americano Jeff Bezos no ranking.

Adani, de 60 anos, passou os últimos anos expandindo seu conglomerado, que vai desde data centers a cimento, mídia e alumínio. Seu grupo agora possui a maior operadora de portos e aeroportos do setor privado da Índia, distribuidora de gás e mineradora de carvão. Ele também promete se tornar o maior produto mundial de energia renovável.

O conglomerado ganhou investimentos de empresas como Warburg Pincus e TotalEnergies, ajudando o bilionário indiano a entrar nos escalões anteriormente dominados por magnatas da tecnologia dos Estados Unidos. O aumento do preço do carvão nos últimos meses acelerou ainda mais sua ascensão.

As preocupações sobre o conglomerado também estão crescendo devido ao próprio aumento exponencial. A onda de negócios de Adani foi predominantemente financiada com dívidas e seu império está “profundamente superalavancado”, informou a CreditSights em um relatório nesta semana.





Source link

Comente a matéria: