Cerca de 90% dos eleitores de São Paulo cuja biometria havia sido fornecida à Justiça Eleitoral pelo Denatran e que foram às urnas no primeiro turno conseguiram votar usando a impressão digital. Segundo a Justiça Eleitoral, isso foi possível por meio do projeto para Importação de Biometrias de Órgãos Externos (Bioex), do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

No Estado de São Paulo, 4.295.457 eleitores e eleitoras tiveram seus dados fornecidos pelo Denatran. Desse total, compareceram 3.159.563, e 2.789.156 tiveram os seus dados validados (88,28%). Foram registrados 27.198.584 votos no Estado.

De acordo com a Justiça Eleitoral, o processo de biometria é usado para tornar a votação mais segura, impedindo que uma pessoa vote no lugar da outra, mesmo que seja mais lento. Segundo dados do TSE, o tempo médio que os mesários levaram para a habilitação do eleitor em São Paulo foi de apenas 22,74 segundos, incluindo todos os métodos de identificação. O tempo médio de votação no primeiro turno no Estado foi de 57 segundos.

Segundo turno das eleições e a biometria

Os eleitores e eleitoras que tinham biometria fornecida pelo Bioex e não compareceram para votar no primeiro turno poderão ter seus dados validados no segundo turno. 

Não há coleta de dados biométricos na hora da votação. É usada a biometria apenas dos eleitores e eleitoras que já cadastraram previamente suas impressões digitais nos cartórios eleitorais ou daqueles que tiveram seus dados fornecidos por meio do projeto Bioex. 





Source link

Comente a matéria: