As exportações de cachaça cresceram mais de 50% em valor no ano passado, em comparação com 2021. Os dados, divulgados pelo Ministério da Fazenda, foram compilados pelo Instituto Brasileiro de Cachaça (Ibrac). Trata-se de um recorde para o setor.

Segundo o Ibrac, as exportações do produto totalizaram US$ 20 milhões em 2022. No ano anterior, as cifras atingiram apenas US$ 13 milhões.

O volume exportado também aumentou, mas em menor escala. Nesse caso, a alta foi de aproximadamente 30%. Mais de 9 milhões de litros de cachaça foram exportados.

No ano passado, a bebida foi exportada para 75 países. Em valores, os principais destinos foram os Estados Unidos, Alemanha, Portugal, França e Itália.

Entre janeiro e outubro de 2022, Brasil já havia faturado US$ 17 milhões com as exportações de cachaça. Os alemães receberam o maior volume: quase 2 milhões de litros, por cerca de US$ 2 milhões. A quantia equivale a uma dose de 25 mililitros — meia dose — para cada habitante do país. A maior receita, entretanto, veio dos EUA: por volta de US$ 4 milhões, para pouco mais de 1 milhão de litros. Ou seja, em torno de US$ 3,5 por litro.

Dentro do Brasil, São Paulo foi o Estado que mais faturou com as exportações: US$ 8 milhões, com o envio de 3,5 milhões de litros ao mercado externo. Na segunda posição, aparece Pernambuco: US$ 2 milhões, por pouco mais de 2 milhões de litros. Minas Gerais, que tem o maior número de fabricantes do país, ficou na terceira colocação: perto de US$ 2 milhões, por 330 mil litros.

Leia também: “O país adoça o mundo”, artigo de Evaristo de Miranda publicado na Edição 57 da Revista Oeste

Source link

Comente a matéria: