Depois de anos de sofrimento, o torcedor do Grêmio viveu uma noite especialíssima nesta terça-feira, 17, graças a Luis Suárez. Diante de 49.614 torcedores na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, o astro uruguaio estreou marcando três gols na goleada por 4 a 1 sobre o São Luiz que abriu a temporada 2023 e garantiu a conquista da Recopa Gaúcha.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 9,90/mês. Não perca!

O confronto entre o Tricolor, campeão estadual, e o time de Juí, vencedor da Copa Gaúcha, foi a ocasião perfeita para Luís Suárez entusiasmar ainda mais a torcida gremista, que já havia lotado o estádio em sua apresentação. O atacante de 35 anos e passagens de sucesso pelo futebol europeu e pela seleção Celeste precisou de apenas 61 minutos em campo para finalizar sete vezes e mandar três bolas paras redes, com direito a toques de extrema categoria.

Todos os gols saíram na primeira etapa. O primeiro saiu logo aos quatro minutos, quando Suárez recebeu de Ferreira e encobriu o goleiro Gabriel Félix. Paulinho Santos empatou para o São Luiz, mas rapidamente Bitello marcou o segundo A partir daí, só deu Suárez. Aos 30, ele invadiu a área e bateu com frieza na saída do goleiro. Aos 38,  o “Pistolero” aproveitou sobra, ajeitou o corpo e mandou de primeira para as redes.

Continua após a publicidade

“É a mentalidade. Quando a gente se concentra para uma final, tem que jogar como hoje”, afirmou Suárez em bom “portunhol”, em entrevista ao SporTV no intervalo. O ídolo de Liverpool, Barcelona e Atlético de Madri levou a bola do jogo para casa como recordação de seu primiro “hat-trick” no futebol brasileiro.

A última passagem do uruguaio foi pelo Nacional de Montevidéu, clube que o revelou, onde marcou oito gols em 16 jogos e venceu a liga do país, com dois gols na final. De volta à elite após um ano Série B, o Grêmio confia nos gols do veterano para ter uma temporada de sucesso.

Com o título desta noite, Renato Gaúcho chegou a oito taças como treinador do Grêmio, superando marca de Luiz Felipe Scolari. Ele só fica atrás de Oswaldo Rolla, o Foguinho, ídolo tricolor entre as décadas de 1940 e 1970.

Continua após a publicidade





Source link

Comente a matéria: