Lançado no início deste mês pela Netflix, o filme O Milagre está fazendo sucesso em razão de seu enredo surpreendente e sombrio. O longa-metragem chegou a ocupar o segundo lugar no top 10 dos filmes mais vistos na Netflix Brasil.

A história, que se passa na Irlanda do século 19, é inspirada em um romance da escritora Emma Donoghue, de 2016. Em ambos, é possível conhecer a história de Anna O’Donell, 11 anos, que afirma não precisar se alimentar para sobreviver. A garota está sem comer há quatro meses, se alimentando apenas de “maná do céu” — alimento divino citado na Bíblia.

Por esse motivo, a enfermeira Lib Wright é chamada para investigar a veracidade da história. Toda a situação levou o pequeno vilarejo, onde Anna mora, a vê-la como um milagre. Contudo, o que Lib descobre causa uma enorme reviravolta no filme.

Embora a autora da obra não tenha se inspirado em um caso particular, ela usou como base um fenômeno real que ocorreu na Era Vitoriana. Trata-se das “garotas jejuadoras”.

As meninas afirmavam não precisar comer ou beber para sobreviver. No entanto, alguns historiadores enxergam o fenômeno como uma onda de casos de anorexia.

As jovens tornaram-se verdadeiras celebridades entre o fim dos anos 1800 e o início dos 1900. Vistas como anomalias ou “escolhidas de Deus”, as garotas também se tornaram alvo de investigação e algumas até morreram.

Leia também: “A arte de liberta do homem”, artigo de Dagomir Marquezi para a Edição 138 da Revista Oeste.

Source link

Comente a matéria: