A osteoporose é uma doença caracterizada pela baixa massa óssea, condições na qual o osso fica poroso e se torna frágil e quebradiço, podendo causar dores crônicas, deformidades e redução da estatura. É silenciosa, e o primeiro sinal é a fratura, geralmente aparece quando ela já está em uma fase avançada.

A principal causa da doença é o envelhecimento. Desde o nascimento até os 30 anos ganhamos massa óssea e acumulamos cálcio, mas depois dos 40 anos começamos a perder osso.

E são as mulheres que mais sofrem, devido às mudanças hormonais, pois há uma queda brusca dos níveis de estrogênio, hormônio que ajuda a fixação do cálcio no osso. Já no homem, a existência do hormônio protetor testosterona, faz com que haja um retardo na perda óssea, que costuma ocorrer após os 70 anos.

Apesar de ser complexa, sabemos que certos fatores estão associados a um maior risco para o seu desenvolvimento, como: mulher tem maior risco de osteoporose (como vimos acima o motivo), idade avançada, baixo peso, menopausa precoce, causa genética (se a mãe e o pai têm, provavelmente os filhos terão), consumo de álcool ou cigarro, ausência de atividade física, uso de medicamentos como corticoide e anticonvulsivante, entre outros fatores.

Como já sabemos, o melhor é se prevenir, e algumas precauções para assegurar um desenvolvimento normal do esqueleto são através da ingestão adequada de cálcio e vitamina D, através da exposição ao sol, de dieta balanceada, da prática de esportes, evitando o fumo e o consumo excessivo de álcool, e ainda cuidado com o consumo excessivo de café. 

É importante lembrar que mulheres acima de 60/65 anos e homens acima de 70 anos devem realizar o exame de Densitometria Mineral Óssea, que mede a massa óssea e compara com valores de referência.

Como ainda não possui uma cura definitiva, são necessários cuidados constantes, e o ortopedista pode prescrever medicamentos que reduzem os riscos de fraturas significativamente. Por isso é muito importante o acompanhamento do especialista.

*George Kalif é médico ortopedista e traumatologista, especialista em quadril e dor





Source link

Comente a matéria: