Prisão foi efetuada nesta sexta-feira, 14, após os agentes se apresentarem de maneira voluntária à Polícia Federal (PF)

Reprodução/Twitter/@ErikakHiltonAção da PRF Genivaldo foi colocado dentro do porta-malas de uma viatura pelos policias e submetidos e inalou gás lacrimogêneo

Os policiais rodoviários federais acusados de envolvimento na morte de Genivaldo de Jesus Santos durante uma abordagem, em Sergipe, foram presos. A informação é da Justiça Federal do estado. William de Barros Noia, Kleber Nascimento Freitas e Paulo Rodolpho Lima Nascimento estão presos no Presídio Militar de Sergipe, em Aracajú, capital do estado.

A prisão foi efetuada nesta sexta-feira, 14, após os agentes se apresentarem de maneira voluntária à Polícia Federal (PF). A decisão foi proferida após o Ministério Público Federal (MPF) efetuar uma representação pela prisão do agentes pelos crimes de abuso de autoridade, tortura e homicídio qualificado.  De acordo com a Justiça Federal, a prisão foi determinada pelo magistrado titular da 7ª Vara Federal – Subseção Judiciária de Estância, Rafael Soares Souza.

Segundo o texto, os três realizaram exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), passaram por uma audiência de custódia e foram levados para o presídio. O caso ocorreu no município de Umbaúba. Genivaldo foi abordado pelos policiais rodoviários após ser visto pilotando uma moto sem capacete. No entanto, durante a abordagem, ele foi colocado no porta-malas de uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e submetido à inalação de gás lacrimogêneo.

Um vídeo que circulou pela internet na ocasião mostrou a ação. Uma fumaça branca escapava pelas frestas do porta-malas, enquanto Genivaldo se debatia e gritava no interior do veículo. A certidão de óbito apontou que o homem morreu por asfixia e insuficiência respiratória.

Source link

Comente a matéria: