Vivemos em uma nova era que tem deixado muitas pessoas confusas e até mesmo frustradas. O que é Democracia? Com tantos protestos acontecendo por todo o Brasil, alguns questionam se os manifestantes são realmente antidemocráticos. Por outro lado, há quem afirme que existe um Supremo acima do Supremo com poderes ilimitados para prender qualquer um – inclusive crianças e idosos – proibindo-se pensar ou criticar tal situação.  Quem são os antidemocráticos? 

A democracia é um sistema de governo baseado no princípio da igualdade entre os cidadãos. É com base neste princípio que todos têm direito a voz e voto para decidir sobre as questões fundamentais do país, como leis, impostos e orçamentos. No entanto, há quem acredite que esta forma de governar não é perfeita pois existem aqueles que se recusam a aceitar o resultado das eleições ou mesmo desconfiam da autenticidade dos resultados.

Um direito garantido pela constituição de 1984 e que foi atropelado nas eleições de 2022

São essas pessoas antidemocráticas? Para responder à pergunta “Quem são os antidemocráticos?”, primeiro precisamos olhar para as vantagens da democracia: significando uma melhor distribuição de riqueza por meio do Estado social; direitos humanos sendo reconhecidos e respeitados; liberdade de expressão garantida através dos meios de comunicação livres; direito à educação gratuita em nível básico; saúde adequada para todos etc.

Contudo, quando políticas mal elaboradas afetam negativamente o bem-estar social destes cidadãos abrindo brechas na economia e gerando desigualdades sociais injustificadas – surge algo maior: a chama do descontentamento popular!

Este sentimento é compartilhado pelo movimento antidemocrático que inclui manifestantes nas ruas exigindo mudança Social justa por parte dos responsáveis ​​por implementar tais regulamentações.

Eleições transparentes, inclusive, com direito a questionamentos e dúvidas quando apoiada por órgãos que deveriam garantir a lisura. Mas isso é outro planeta, não aqui.

Perante este quadro atual, muita gente consideraria estes manifestantes antidemocráticos mas esse tipo de pensamento encontra forte resistência entre aqueles que defendem supostamente a Democracia enquanto instrumento fomentador da participação popular no processo de tomada de decisão na esfera pública elegendo lideres capazes de promover desenvolvimento necessário à sociedade como preenchendo a lacuna existente devido à falha no governo e naquele momento determinado. 

Da forma como estamos prefiro seguir o exemplo de Silvio Brito quando diz: “Parem o mundo que eu quero descer”

Por: Marcelo Negreiros

By Marcelo Negreiros

Jornalista militando na profissão desde 1985, trabalhando nas TVs Paraíba e Cabo Branco, afiliadas Rede Globo na Paraíba, durante 15 anos. Diplomado em 2001 pelas Faculdades Integradas de Patos.

Comente a matéria: