O governador democrata Gavin Newsom pretende proibir a venda de carros movidos a combustão no Estado da Califórnia, o maior mercado automotivo dos Estados Unidos. O órgão estadual encarregado de regular as emissões de poluentes votará a medida nesta quinta-feira, 25.

Embora o plano ainda não tenha sido aprovado, o líder da diretoria Daniel Sperling confirmou publicamente que a proposta tem o apoio unânime dos membros. Ele acrescentou que “a partir de 2035, a gasolina acabará no Estado da Califórnia”.

A ideia é que a transição seja gradual até chegar a zero emissões. A medida contempla que a partir de 2026, 35% dos veículos vendidos no Estado serão obrigados a ser veículos com emissão zero. Essa participação aumentará a cada ano e deverá atingir 51% de todas as vendas de carros novos em 2028, 68% em 2030 e 100% em 2035.

Inicialmente, as regras não afetariam a venda de veículos usados ​​e permitiriam que esses veículos permanecessem nas ruas do Estado. O plano que o governo pretende adotar está gerando críticas, pois, os carros elétricos são bens mais caros e menos acessíveis, afetando uma parte fundamental da sociedade.

O governador defende que é preciso dar passos necessários “para conter a poluição provocada pela emissão de poluentes”. O democrata disse ontem que o plano da Califórnia “é inovador”.

O projeto ainda prevê que, se as montadoras não cumprirem os prazos, elas poderiam ser multadas em cerca de US$ 20 mil por cada veículo vendido além da meta determinada.

Leia também: “‘Falar que o clima é controlado pela atividade humana é patético’”, texto publicado na edição 73 da Revista Oeste





Source link

Comente a matéria: