Startups e outras empresas estão planejando demissões nos EUA ou suspendendo contratações para tentar reduzir os custos diante de uma inflação persistentemente alta e do aumento dos juros. O levantamento divulgado na quinta-feira 17, realizado pela consultoria PwC, ouviu mais de 700 dirigentes e conselheiros de empresas de diferentes setores no país.

Dos entrevistados, 52% congelaram novas contratações. Mais de quatro a cada dez empresas estão rescindindo ofertas de emprego, e uma quantidade semelhante está reduzindo ou cortando os bônus de contratação — que se tornaram comuns para atrair talentos no mercado de trabalho apertado.

Emprego nos EUA

O crescimento do emprego nos EUA no mês passado superou as estimativas dos economistas, enquanto os dados do Departamento do Trabalho, divulgado ontem, mostraram uma queda nos pedidos de seguro desemprego, sugerindo que a demanda por trabalhadores continua saudável.

Mas demissões e congelamentos de contratações também estão se tornando mais comuns, e não apenas em startups de tecnologia que cresceram muito rápido. Oracle, Walmart e Apple estão entre os grandes empregadores que anunciaram cortes nas últimas semanas.

A pesquisa também encontrou contradições nas abordagens das empresas quanto ao trabalho remoto. Enquanto 70% dos entrevistados disseram que estão expandindo permanentemente as opções de trabalho remoto para funções aptas, 61% disseram exigir que os funcionários estejam no escritório ou no local de trabalho com mais frequência.

Leia também: “Uma tragédia anunciada”, texto publicado na edição 103 da Revista Oeste





Source link

Comente a matéria: