O ex-vereador Gabriel Monteiro teve mais uma prisão preventiva decretada pelos crimes de violação sexual mediante fraude e assédio sexual contra seus ex-assessores. A decisão é da juíza Simone de Faria Ferraz, da 21ª Vara Criminal, do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ). O processo está em segredo de Justiça.

Essa é a segunda prisão preventiva do ex-parlamentar, que está na cadeia desde 7 de novembro. De acordo com a denúncia, Monteiro teria forçado relações sexuais com uma jovem de 23 anos, sem o uso de preservativo e utilizando-se de violência física.

Segundo as investigações, Monteiro, ao perceber que a vítima estava assustada e ameaçava sair do local, o ex-vereador trancou a porta e apontou a arma para o rosto da mulher. “Gabriel trancou a porta, retirou sua arma da cintura e passou no rosto da mulher, constrangendo-a com o objetivo de manter relações sexuais”, diz a denúncia.

O delegado Luís Mauricio Armond Campos, então titular da 42ª DP, comentou a decisão da Justiça. “Esse é o resultado das investigações, que já vem caminhando desde 28 de março”, afirmou. “Em razão da complexidade dos diversos fatos que apareceram, ela se tornou um pouco prolongada. Mas, agora, a sua finalização tem demonstrado a capacidade da Polícia Civil em apresentar a verdade dos fatos e toda essa teia que envolveu o ex-vereador Gabriel Monteiro.”

Habeas Corpus de Gabriel Monteiro foi negado

Conforme noticiou a Revista Oeste, na última quinta-feira, 17, a Justiça do Rio de Janeiro rejeitou o pedido de habeas corpus da defesa do ex-vereador. A decisão é do desembargador Claudio de Oliveira Junior, da 8ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.





Source link

Comente a matéria: