A juíza Rosália Guimarães, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), publicou uma série de tuítes com viés político no Twitter. Em um deles, a magistrada do TJ-AM pede votos para Lula e ataca o presidente Jair Bolsonaro.

“Se você estava pensando em anular o seu voto no dia 30, pense se é isso mesmo que você deseja que continue acontecendo com o país”, escreveu Rosália. “Se para você tanto faz, pode anular o seu voto. Se esse quadro te afigura absurdo, vote 13, porque, só assim, poderemos mudar esse cenário.”

Em outro post, a juíza faz um apelo aos seus seguidores. “Se você se parecer comigo minimamente comigo, dá um like ou retuíte, assim, saberei que não sou minoria e que o nosso Brasil ainda tem chances de voltar aos rumos democráticos em 2023. Dia 30, vote 13 #EstouCom Lula.”

Entre outros motivos para justificar o seu apoio a Lula, a magistrada escreveu oito vezes que “Bolsonaro apoia o crime” sobre um post que tratava da prisão do ex-deputado federal Roberto Jefferson, que resistiu a um mandado de prisão expedido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Segundo a própria juíza, os tuítes foram apagados por ela, em virtude da repercussão negativa e a “dimensão que atingiram não foi algo esperado”.

O advogado Paulo Faria entrou com uma reclamação disciplinar contra a juíza por ela supostamente ter violado a Lei Orgânica da Magistratura. “Um juiz não pode se posicionar politicamente”, constatou Faria. “Pois, além de violar normas da magistratura, põe em xeque a sua independência funcional.”

Source link

Comente a matéria: