A Secretaria Especial de Comunicação Social do Governo Federal (Secom) afirmou que as informações solicitadas pela equipe de transição serão prestadas “por escrito e dentro do prazo legal estipulado”. A nota da gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL) foi divulgada na noite desta terça-feira (22) após uma série de críticas feitas pelo deputado federal André Janones (Avante), integrante do grupo temático de Comunicação Social da transição do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Por meio das redes sociais, Janones afirmou que solicitou informações sobre a atuação e contratos firmados pela secretaria na atual gestão e não teria recebido as respostas. Já a Secom – se mencionar diretamente o parlamentar – pediu cordialidade a um dos integrantes da equipe de transição, criticou a forma como vem agindo no processo de mudança de governo, e afirmou que as postagens são “inverídicas, distorcidas e desrespeitosas” .

“As recentes postagens, inverídicas, distorcidas e desrespeitosas, publicadas por um dos integrantes do Grupo de Trabalho relacionado à comunicação social na transição de governo, demonstram e materializam a não observância dolosa do princípio de colaboração por parte desse integrante, o que, praticamente, inviabiliza a realização de reuniões com o Grupo Temático”, diz um trecho da nota da Secom.

Matéria recente da Gazeta do Povo mostrou que a estratégia de comunicação de Janones durante a campanha de Lula incluiu informações incorretas, radicalização e até discurso de ódio.

Confira a nota da Secom na íntegra:

“A Secretaria Especial de Comunicação Social do Governo Federal (Secom) informa que os normativos legais que regulam o processo de transição de governo expressam, dentre outros princípios, que deve haver colaboração entre as partes envolvidas. O respeito mútuo e a cordialidade são, sem dúvida, partes integrantes e imprescindíveis de qualquer processo que pretenda ser colaborativo.

As recentes postagens, inverídicas, distorcidas e desrespeitosas, publicadas por um dos integrantes do Grupo de Trabalho relacionado à comunicação social na transição de governo, demonstram e materializam a não observância dolosa do princípio de colaboração por parte desse integrante, o que, praticamente, inviabiliza a realização de reuniões com o Grupo Temático. 

A SECOM, cumprindo os ditames legais relacionados à transição, prestou e continuará prestando, por escrito e dentro do prazo legal estipulado, todas as informações relativas à sua área de competência, desde que oficialmente solicitadas, garantindo a lisura e a transparência no processo”.



Source link

Comente a matéria: